APÓS A BANDEIRADA: CHATICE DESÉRTICA

Deixe um comentário

22 de abril de 2013 por Lucas Rafael Chianello

Além de frustar os planos da Ferrari, o defeito na asa traseira de Alonso deixou o GP do Bahrein como sempre foi nos tempos em que ainda não havia asa móvel e pneus chiclete: chato e sonolento. Mais uma vez, novos motivos para se dizer “como tem corridas num lugar desses”?

O troféu da 28ª vitória.

O troféu da 28ª vitória.

Não existe o se, mas se Alonso não tivesse problemas na asa traseira, provavelmente o resultado não seria diferente. Vettel reinou absoluto na prova e não teve maiores dificuldades. A diferença é que o espanhol poderia ter somado mais pontos.

Não possível isso, Kimi, o senhor regularidade, herda a segunda posição e se coloca como candidato a título. Num campeonato equilibrado, regularidade é fundamental. Enquanto a taça estiver em jogo, Kimi brigará por ela.

Grosjean em terceiro mostra a força da Lotus, mais inteira do que no ano passado. O carro tem bom ritmo de corrida e quanto mais na frente obtiver posições no sábado, maiores as chances de ainda mais na frente terminar no domingo. Com um adicional especial: consome menos borracha que os demais.

Muitas expectativas se tinha sobre Felipe Massa, devido à estratégia de iniciar com os pneus duros. Num primeiro momento, a Ferrari errou. Era para o brasileiro ter ficado mais tempo na pista na primeira parada. No final das contas, os problemas minimizaram o erros estratégico da equipe, que sim, desta vez errou.

Di Resta fez uma ótima corrida e a Force India é a melhor das intermediárias sem qualquer contestação. Chegou, inclusive, na frente das Mercedes, que possuem ótimo ritmo de classificação e péssimo ritmo de corridas.

Enfim, o grande barato mesmo da corrida no Bahrein ficou por conta dos comentários de Rubens Barrichello para a transmissão oficial no Brasil. Tranquilo, calmo e com muitíssimo conhecimento sobre a matéria, informou da melhor forma possível como as coisas acontecem diante do volante com os pés no acelerador. Fala bem com o microfone na lapela o homem que mais GPs correu na F-1. Parabéns!

Ainda que algumas disputas tivessem ocorrido durante a corrida, como por exemplo Webber x Hamilton e Button x Perez, estivemos diante de duelos muito mais devidos à asa móvel do que qualquer outra coisa. Sem muitas lembranças, portanto, esse GP do Bahrein. Que venha algo melhor daqui a três semanas, em Montmeló, Barcelona, quando se inicia a fase europeia do calendário.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: