O DISCRETO SILÊNCIO DOS COXINHAS

Deixe um comentário

13 de julho de 2017 por Lucas Rafael Chianello

O dia da condenação de Lula por seu adversário político Sérgio Moro foi fraco em comemoração dos coxinhas. Eles estão envergonhados, ainda que não admitam e que a mídia tradicional esconda.

Por Rogério Correia
Deputado Estadual do PT em Minas Gerais

Quem passou pela Praça da Liberdade ontem à noite viu o que quase sempre se vê numa quarta-feira normal. Tradicional espaço ocupado pela turma que apoiou o golpe contra Dilma, a praça localizada na Zona Sul de Belo Horizonte não teve qualquer alteração na sua rotina. No dia da tão sonhada condenação de Lula pelo juiz Moro, a cereja no bolo da conspiração contra o povo brasileiro, os coxinhas fizeram silêncio.

Nos piores momentos é que é preciso ter sangue frio para perceber as tímidas vitórias, aquelas pouco alardeadas, até por serem ignoradas pela mídia tradicional. Por isso é tão necessário sublinhar o discreto silêncio dos coxinhas naquele dia em que eles prometiam tomar de novo as ruas dos bairros mais nobres das cidades brasileiras. Há não mais do que um ano e meio, teríamos algumas centenas, talvez milhares, nas ruas comemorando a condenação do presidente mais popular da história brasileira. Mas isso não ocorreu.

O quadro atual é grave, por certo, e não nos permite ilusões. Mas a perceptível mudança que se percebe nos olhos das pessoas tampouco pode ser despercebida. O povo sente. Vê um senador como Aécio Neves ser pego na botija e receber toda a sorte de privilégios que o isentam de pelo menos ser investigado. Vê um presidente da República que trai sua antiga companheira de chapa, aplica um programa de governo oposto ao anterior e se mete numa série de práticas espúrias em conjunto com empresas igualmente corruptas. Impunemente. Vê um “juiz” de 1ª instância participar de convescotes com Aécio, Temer, Dória, Serra, Alckmin, e esse mesmo magistrado “julgar” o político mais popular de nossa história.

Não nos deixemos enganar pelo discurso único da velha mídia brasileira. O povo está vendo a conspiração. Talvez não na intensidade e velocidade que gostaríamos, mas está percebendo.

Hoje, o palco das lutas está quase circunscrito aos palácios e gabinetes, o terreno preferencial dos eternos donos do poder. Por isso precisamos demonstrar força nas ruas, nas casas, nas praças, nosso espaço preferencial.

Não é hora de chorar ou desanimar. Pelo contrário. É hora de lutar. Sempre na luta. Como faz Lula.

Deixemos o discreto silêncio envergonhado para os coxinhas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: