COVARDIA, AINDA QUE TARDIA

Deixe um comentário

13 de julho de 2014 por Lucas Rafael Chianello

Por Leandro Fortes

Aécio foi ao Mineirão e, para não ser vaiado ou chamado de pé frio, saiu escondido, antes do fim do jogo, ao contrário dos muitos brasileiros que lá ficaram lambendo as feridas daquele triste Brasil x Alemanha.

Assim, escapulindo à sorrelfa, não pôde, no momento exato da tragédia, verbalizar o que a cachorrada anti-Copa já estava preparada para latir: a derrota da seleção brasileira era, claro, culpa do PT, da presidenta Dilma, do Bolsa Família e do Mais Médicos, a depender do grau do déficit intelectual de quem diz.

Nem Aécio, nem seu goleiro reserva, Eduardo Campos, tiveram coragem de fazer essa ligação no dia do jogo. Não se deve abusar da inteligência do eleitor num momento de grave comoção nacional, sob o risco de o tiro sair pela culatra, como foi a vaia do Itaquerão.

Aécio, no entanto, esperou apenas dois dias para tomar coragem de se entregar a essa cafajestagem.

Dizer que Dilma irá pagar pela eliminação do Brasil é, além de politicagem de quinta categoria, uma mentira mal montada: a seleção ainda vai disputar o terceiro lugar, logo, ainda está na Copa.

Mas esse é o tipo de declaração feita para para brigar com os fatos mesmo. Não saiu da boca de Aécio, mas dos intestinos de sua marquetagem e da cloaca de seus seguidores ressentidos.

É, no fim das contas, uma tentativa tão infantil quanto previsível de vincular o fracasso da seleção ao sucesso da Copa do Mundo do Brasil.

Aécio, ou quem quer que seja, na oposição ou na mídia, acusar o governo de querer fazer uso político da Copa é uma piada sem graça da qual só os tucanos e seus aliados, perdidos em seu tradicional isolamento político, não se tocam.

Passaram os meses que antecederam à Copa torcendo como urubus pelo fracasso do evento, por manifestações violentas, pela frustração dos turistas. Torceram, todo o tempo, para nada dar certo.

Mas como tudo deu certo, menos a seleção, tentam, agora, colocar o time de Felipão no colo do governo.

Há apenas um tipo de cidadão propenso a cair nessa conversa: o idiota. Então, a escolha é sua, eleitor.

Aécio, exposto em manequins de papelão na convenção que o designou candidato a Presidente, associa os 7x1 a um fracasso do governo Dilma.

Aécio, exposto em manequins de papelão na convenção que o designou candidato a Presidente, associa os 7×1 (no qual esteve presente) a um fracasso do governo Dilma.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: