CARTA ABERTA AO HEPTACAMPEÃO MICHAEL SCHUMACHER

Deixe um comentário

3 de janeiro de 2014 por Lucas Rafael Chianello

Rapaz, vamos direto aos pontos. Em primeiro lugar, some aos seus inúmeros recordes ser o tema da centésima postagem deste Blog Chianéllico. Em segundo lugar, saiba que você é um dos grandes naquilo que eu mais adoro: o mundo dos esportes. O grande herói e o grande vilão.

A bem da verdade, você começou como coadjuvante. Assisto F-1 desde os três anos de idade e conhecia os pilotos pelo capacete. Meu pai é testemunha. Brasileiro e sennista, eu vivia xingando o Prost e o Mansell até que no dia em que o Ayrton finalmente realizou o sonho de guiar o “carro de outro planeta”, você vem e põe água no meu leite com nescau (acho que só fui começar a beber cerveja pouco depois de você ter se despedido das pistas, antes da passagem pela Mercedes).

Na verdade, todos sabiam a que você veio depois daquela vitória em Spa, em 1992. Lugar mais alto do pódio seguido dos pilotos dos carros de outro planeta, os quais somente você derrotou, ainda que o Senna tenha morrido (o que não tira seus méritos) e que depois, na Ferrari, o Hill, o Villeneuve e o Hakkinen tenham te vencido.

Por que você foi o vilão? Eu não aceitava que Senna tinha terminado a carreira sem vida e sem ter te derrotado. E como via a Williams ganhando tudo, não aceitava que você a vencesse. Quando a equipe do Tio Frank passou a andar no meio do grid, concluí que era hora de te dar uma chance e lá fui eu torcer pra você contra as ótimas performances do conjunto McLaren/Mika Hakkinen. Custou pra você vencer o finlandês, a quem você mesmo elegeu seu maior adversário. Elogio maior a ele não poderia haver. Você finalmente passava a ser meu herói. Antes você do que o finlandês (quanta babaquice de minha parte na época) para igualar o tricampeonato do Senna.

Só que paralelamente eu acompanhava o que aqui no Brasil ficou conhecido como a F-Mundial, uma das categorias fundadas após a cisão da Indy nos EUA. E de lá veio aquele colombiano maluco, campeão da tal F-Mundial e das 500 Milhas de Indianápolis que a bem da verdade te deu vários passões e gostava de te cutucar nas coletivas de imprensa. Mas não passou disso. E desde aquele passão do colombiano sobre você em Interlagos, você voltava a ser vilão. Neste caso, só te peço desculpa por uma coisa.

Aqui no Brasil tem um cantor brasileiríssimo, o Milton Nascimento, do qual não sei se você já ouviu falar. Tem uma música dele que se chama Para Lennon e McCartney que em determinado momento diz: “Eu sou da América do Sul/ eu sei vocês não vão saber”. Alemão, fantástico alemão! Senna já tinha ido. O melhor brasileiro que tínhamos era teu companheiro. Me sobrava, por questões geopolíticas, torcer para aquele colombiano maluco e indomável, que inclusive tinha carro movido a gasolina brasileira. Ele bem que tentou, mas você não permitiu que ele colocasse a equipe do Tio Frank de novo no topo. Aliás, a equipe do Tio Frank precisa de um cara como você, que tire ela do jejum do qual você tirou a Ferrari.

Coube a Schumacher colocar a Ferrari novamente no topo depois de 21 anos de jejum.

Coube a Schumacher colocar a Ferrari novamente no topo depois de 21 anos de jejum.

E como foi bom ter você como vilão! Rapaz, foi nessa época de frustração colombiana que mais te vi, mais te conheci e mais sou grato por ter tido a oportunidade de ter visto aquele que para mim é um dos maiores atletas não só da F-1, mas dos esportes em geral. Você ganhou tudo, pulverizou marcas anteriores, estabeleceu inúmeras marcas imbatíveis e me faz ser privilegiado em ter visto o maior de todos os tempos na pista, apesar de eu teimar em achar que o Fangio foi melhor que você.

Pra quem te viu, você foi mais do que herói e vilão. Você foi tudo. Como li numa reportagem sobre você não lembro aonde, a prova de que Aristóteles estava certo quando disse que a excelência era um hábito e não um feito.

Só te peço uma coisa nesta altura do campeonato: volte a viver normalmente, desgraçado! E feliz aniversário!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: