60 ANOS DE ABSOLVIÇÃO HISTÓRICA

Deixe um comentário

16 de outubro de 2013 por Lucas Rafael Chianello

Fez hoje seis décadas de sua mais célebre frase. No que pesem os célebres discursos em tribunas públicas assistidos por milhares, as palavras vieram de um julgamento político de exceção direcionado a destruir um líder revolucionário que mudou a perspectiva histórica não somente de seu país, mas de todos os povos do mundo que lutam pela liberdade e pela igualdade.

“Termino minha defesa, mas não o farei como fazem habitualmente os advogados pedindo a liberdade do acusado; não posso pedi-la quando meus companheiros já estão sofrendo na Ilha de Pinos prisão ignominiosa. Mandai-me para junto deles, a fim de compartilhar sua sorte. É compreensível que os homens honrados estejam mortos ou presos, numa República em que o presidente é um criminoso e um ladrão.

Aos senhores juízes, minha sincera gratidão por me haverem permitido falar livremente, sem coações mesquinhas; não lhes guardo rancor. Reconheço que em certos aspectos fostes humanos e sei que o presidente deste tribunal, homem de vida limpa, não pode dissimular sua repugnância pelo estado de coisas que o obriga a ditar uma sentença injusta. Resta ainda ao tribunal um problema mais grave: aí estão os processos sobre os setenta assassinatos, isto é, o maior massacre que conhecemos; os culpados continuam em liberdade com armas nas mãos, ameaça constante contra a vida dos cidadãos. Se não cair sobre eles todo o peso da lei, por covardia ou porque o impeçam; se não renunciarem por completo todos os juízes, tenho piedade de vossas honras e lamento a mancha sem precedentes que cobrirá de infâmia o Poder Judiciário

Quanto a mim, sei que a prisão será dura como tem sido para todos – prenhe de ameaças, de vil e covarde rancor. Mas não a temo, como não temo a fúria do tirano miserável que arrancou a vida de setenta de meus irmãos. CONDENAI-ME, NÃO IMPORTA. A HISTÓRIA ME ABSOLVERÁ”.

Santiago de Cuba, Hospital Saturnino Lora, atual museu Abel Santamaría Cuadrado, 16 de outubro de 1953.

Antes de ser julgado, Fidel presta depoimento a militares.

Antes de ser julgado, Fidel presta depoimento a militares.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: