APÓS A BANDEIRADA: DESTAQUES E POLÊMICAS

Deixe um comentário

30 de maio de 2013 por Lucas Rafael Chianello

Sabemos que a Mercedes é o grande leão de treino da temporada. A menos que nas próximas etapas alguma equipe seja mais rápida nas classificações ou que a equipe aprende a lidar com os pneus Pirelli, veremos o de sempre: poles não convertidas em vitórias. Mônaco foi a exceção, por enquanto, porque lá dificilmente ocorrem ultrapassagens.

Ainda sim, três pilotos merecem destaques por terem feito o impossível: os dois da Force India e Perez. No caso do mexicano, destaques positivos e negativos. Enquanto o próprio Button reconheceu ter levado um passão daqueles, Alonso teve de recolher para dentro da chincane após o túnel de modo a evitar uma colisão que iria fazer um estrago daqueles, pois haviam carros próximos vindo atrás. Voltas depois, a falta de juízo e a ansiedade da ultrapassagem a qualquer preço custaram o prejuízo a Raikkonen, que conseguiu chegar em décimo sabe-se lá como.

Di Resta saiu de lá de trás, mudou a tática, aproveitou enquanto teve pista livre à sua frente para andar rápido e fez ultrapassagens arriscadas e leais quando foi exigidos a fazê-las. E Sutil, sempre entre os que pontuavam, deixou Alonso na saudade na Lowes.

O beneficiado disso tudo é Vettel, que chegou em segundo, somou 18 pontos e lidera o campeonato. Se a Mercedes vier a reagir e colocar um dos seus pilotos na briga pelo título, Hamilton tem mais pontos que Rosberg na tabela. Kimi e Alonso, concorrentes diretos, ficaram pra trás.

Vitória e troféu na mão: valeu ou não?

Vitória e troféu na mão: valeu ou não?

Porém, uma informação abalou as estruturas da vitória de um Rosberg em Mônaco após 30 anos. Como se sabe, o regulamento proíbe os testes durante a temporada. Eis que surge a notícia de um teste de 1000km da Mercedes, em Barcelona, após o GP da Espanha. 1000km rodados com pneus Pirelli, nos carros da atual temporada, o que além de infringir a regra colocaria a equipe em vantagem, pois ela teria dados que as outras não tem sobre o desgaste dos pneus.

Para uns, teste legítimo, previsto inclusive em contrato com a atual fornecedora de pneus. Para outros, infração passível de revogação do resultado da corrida, perda de pontos e suspensão de uma ou algumas etapas. No que pese o direito desportivo ser apaixonante e ter o sagrado dever de proteger os resultados das infrações, haja saco para discutir o jurídico e não o desportivo. Afinal de contas, corrida é na pista.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: