CARTA ABERTA AO AMIGO LUIS GUSTAVO MARCONDES

3

8 de maio de 2013 por Lucas Rafael Chianello

Prezado Luis, na verdade, reproduzo abaixo uma compilação de postagens e comentários no facebook acerca da vinda para o Brasil de seis mil médicos cubanos que trabalharão em áreas nas quais vivem a população mais carente.

Espero reencontrá-lo em breve e caso você me permita, quero dar uma volta no Lada pelas ruas de Poços de Caldas, uma vez que desde outubro do ano passado estou habilitado.

Um grande abraço do amigo.

“Prezado Luis, apenas uma pergunta que gostaria de fazer a todos os “verdadeiramente socialistas”: não tivesse o PT na Presidência, não fossem Lula e Dilma presidentes, médicos cubanos viriam ao Brasil para assistir a população mais carente?

Agora a oposição está putinha porque a Dilma chamou médicos cubanos para trabalharem no Brasil.

Se existem um culpado pela situação precária da educação e da saúde no Brasil, trata-se da oposição que revogou a CPMF – com voto do PSOL e campanha exaustiva contra da Heloquisa Helena, inclusive – que seria destinada à saúde, e a destinação dos royalties do petróleo para educação. Tudo para que lá na frente não tenham que lidar com o discurso de “o PT que fez”.

DEM, PSDB, PPS/MD e PSOL não fazem oposição ao PT. Fazem oposição à saúde pública e educação brasileiras.

A saúde brasileira necessita de uma revolução. Porém, a oportunidade foi perdida quando a oposição, por puro capricho político, revogou a CPMF no Senado. Da mesma forma, por exemplo, que articularam a Câmara para votar majoritariamente contra a destinação dos royalties do pré-sal para a educação.

No Brasil, no que pese a urgente necessidade de se estruturar a saúde pública, não se formam médicos que primam pelo âmbito humanista da profissão. O que quer a imensa maioria dos estudantes de medicina? Se especializarem em suas respectivas residências médicas para terem currículo para trabalharem num hospital particular de grande porte.

O que se discute na maioria das universidades brasileiras para que haja propostas e soluções para o problema da saúde no Brasil? Nada. E o que ganham médicos brasileiros plantonistas, especialistas ou clínicos gerais, para prestarem serviços, SEM CONCURSO PÚBLICO, em hospitais públicos que paguem bem a hora num R.P.A. (recibo de pagamento a autônomo)? Uma das maiores remunerações que se pode pagar no Brasil.

E o que fazem os médicos que recebem esses afortunados RPAs obtidos em prestações de serviço em hospitais e prontos socorros públicos? Investem na carreira privada. Enquanto isso, a população carente vive às moscas, dependendo de “bons samaritanos” assistencialistas que prestem serviços de caridade à população pobre desde que os ricos cubram as horas trabalhadas de graça. E além do estetoscópio, da seringa e do auferidor de pressão, o que levam na maleta onde guardam os instrumentos? Os santinhos eleitorais a serem distribuídos de agosto a outubro em ano de eleição.

Agraciados eleitoralmente pelos pobres assistidos, assumem lá suas cadeiras em câmaras e assembleias. E o que solicitam, na hora das votações orçamentárias, para a saúde pública? Porra nenhuma, porque onde houver saúde pública de qualidade não haverá curral eleitoral.

Que sejam bem vindos, pois, os médicos cubanos, pois com ou sem estrutura, estarão ao lado daqueles que mais precisam. Enquanto isso, por puro revanchismo político, não se aprova no Brasil a validação dos diplomas de brasileiros que foram estudar medicina em Cuba porque não tinham dinheiro para pagarem faculdade e cursinhos pré vestibulares por aqui”.

Anúncios

3 pensamentos sobre “CARTA ABERTA AO AMIGO LUIS GUSTAVO MARCONDES

  1. Lucas Rafael Chianello disse:

    Argumento que é bom, nada.

  2. joão tomás disse:

    Puta merda quanta besteira escrita junto !!!!

  3. Sérgio Pessanha Arruda disse:

    O Conselho Federal de Medicina, que procura defender o patrimônio de seus filiados tem de alargar seus olhos para as necessidades do país. Se há necessidade que seus associados não tem como ou não tem interesse em atender não é ela nem ninguém qie poderá eticamente condenar ao abandono. O não reconhecimento de diplomas talvez deva haver, nas precedido da aferição dos nacionais, se não será hipocrisia e imoralidade, tisnada de puro interesse corporativo. A finalidade do estudo é trazer proveito social e não gerar escala para enriqueciemnto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: